Israel, nação sacerdotal – Conclusão

ROMPENDO A BARREIRA DE SEPARAÇÃO

GENTIOS E JUDEUSIsrael

Gentios – do grego ethnê – é equivalente ao hebraico goyim.

É chamado judeu o descendente da tribo de Judá e de outras tribos. Ou seja, o judeu é judeu por consanguinidade.

E aquele que não é judeu, é gentio. E continua gentio depois que abraça a fé no Senhor Jesus.

“ Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas, naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo”  Efésios 2:11 e 12

 Paulo estava falando para os gentios;

“gentios na carne” – se é gentio por nascimento, portanto isso não muda quando o gentio passa a crer no evangelho.

“chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne” – a distinção feita popularmente como uma justificativa para continuar menosprezando os gentios incircuncisos, apesar de que um crente piedoso deva se abster de qualquer vanglória.

“outrora”, “naquele tempo” – mostra que os gentios eram deficientes em alguns sentidos.

“estáveis sem Cristo” – Não tinham o Messias. Lembrando que o conceito de Cristo é judaico (Ungido) e que Cristo não é nome, é título.

“separados da comunidade de Israel” – Eram estrangeiros, excluídos, alienados, da vida nacional de Israel. A palavra grega traduzida por “vida nacional” “comunidade” é “politeia” que nos dá palavras em português como “política” e “político”.

“estranhos às alianças da promessa” – Eram estrangeiros às alianças que incorporavam a promessa. Isto inclui a aliança com Abraão, Moisés e a Nova Aliança. A Nova Aliança foi dada a Israel em Jesus. Os gentios eram estranhos a ela a não ser pela fé, o que os tornou participantes por completo.

“não tendo esperança e sem Deus no mundo” – a diferença entre judeus e gentios antes da vinda de Jesus não era apenas devido ao fato de um ser circuncidado e o outro não e sim que Deus lidava com eles de forma diferente.

 “Mas agora em Cristo Jesus, vós que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede de separação que estava no meio, a inimizade, aboliu na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz” Efésios 2:13 a 15

 “vós que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo” – Paulo afirma novamente a condição anterior dos gentios. A aproximação aconteceu por meio da morte sacrificial e sangrenta de Jesus, expiatória para todos, tanto gentios quanto judeus.

“ele é a nossa paz” – Jesus não somente faz a paz entre judeus e gentios como ele próprio é esta paz. “o qual de ambos fez um” – Ele habitando nos judeus e gentios que creem é o que de nós fez um só, pois a nossa unidade é o único Messias habitando em ambos.

“e, tendo derribado a parede de separação que estava no meio” – m’chitzah – hebraico – significa literalmente “o que divide algo no meio”. A figura utilizada por Paulo é do Templo. Em volta do Templo havia uma inscrição que proibia qualquer estrangeiro de entrar. Esta era a “parede de separação” entre judeus e gentios (também havia um pátio só para mulheres).

Assim, o Messias removeu a barreira que impedia os gentios de se misturarem com o Povo de Deus e serem contados como parte dele. Esse é o ponto levantado por Paulo.

Os gentios podem se unir ao povo judeu e serem um com eles enquanto povo de Deus, mediante a fé no Messias judaico, Yeshua.

Mas acontece o contrário: quando os judeus creem em seu próprio Messias, eles não tem mais o direito de manter sua identidade judaica mas precisam se amoldar aos padrões gentílicos.

Jesus é JUDEU, não gentio.

“tendo derribado a parede de separação que estava no meio, a inimizade, aboliu na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças”

Quatro componentes da inimizade entre judeus e gentios:

1 – A inveja dos gentios do status de Israel;

2 – O orgulho dos judeus por serem escolhidos;

3 – O ressentimento dos gentios por causa deste orgulho;

4 – A aversão mútua quanto aos costumes dos dois grupos.

Não vim para revogar, vim para completar –   Jesus disse:

 “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir”

(Mt 5.17 – ARA).

Palavras chaves – “revogar” e “cumprir“

“Revogar“ – grego – verbo grego katalisai [katalusai] = anular, abolir, destruir, desfazer, revogar, etc.

A edição bíblica de Almeida Revista e Corrigida traduz primeiramente a palavra como “destruir” que é mais clara.

JESUS DISSE CLARAMENTE, QUE ELE NÃO VEIO PARA DESTRUIR, ABOLIR, ANULAR OU DERRUBAR A TORÁ (LEI).

Mas Jesus veio fazer mais, ele veio também para “cumprir”.

Este verbo grego que no original é plerosai = completar, acrescentar, aperfeiçoar, “plenificar”, etc.

Jesus em nenhum momento foi contra a Torá, muito pelo contrário ele veio apresentar o sentido pleno da Torá, veio completar seu significado, ele veio “plenificar” seu objetivo.

Como diz o Talmud (a tradição oral dos judeus): “Não vim para tirar a Toráh de Moisés, mas pelo contrário, vim para acrescentar” (Tratado Shabat 116b).

“Ordenanças” – grego = “dogmas” [dogmaV] = interpretação, dogma, doutrina de homens, etc.

Esta expressão grega aparece no Novo Testamento sempre associado com “ordenanças de homens” nunca com ordenanças dadas por Deus.

A palavra grega para ordenanças de Deus no Novo Testamento é dikaioma [dikaiwma] e não dogma.

Esta é a diferença básica.

Concluímos com isto que, o que Jesus aboliu foram:

“AS ORDENANÇAS DO HOMEM, OU AS INTERPRETAÇÕES DOS HOMENS SOBRE A TORÁ QUE É FORMADA POR MANDAMENTOS”.

“para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,”

A destruição da parede de separação fez de nós um, mas também nos deu a responsabilidade de um estilo de vida compatível ao requerido por Deus de todo o seu povo. Desta forma, podemos agir em obediência da forma que o Senhor nos ensinou procurando viver o estilo de vida na Igreja (Judeus e gentios crentes em Jesus) que espera a volta Dele.

Shalom!

Anúncios

ISRAEL, NAÇÃO SACERDOTAL – PARTE IV

Igreja e Israel – Formação do Israel Espiritual

IsraelA primeira vez em que a Bíblia menciona um “Israel Espiritual” está em Gn 35:10 e 11:

E disse-lhe Deus: O teu nome é Jacó; não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel será o teu nome. E chamou o seu nome Israel. Disse-lhe mais Deus: Eu sou o Deus, Todo-Poderoso; frutifica e multiplica-te; uma nação e multidão de nações sairão de ti…

 Gên 35:10  ויאמר־לו אלהים שׁמך יעקב לא־יקרא שׁמך עוד יעקב כי אם־ישׂראל יהיה שׁמך ויקרא את־שׁמו ישׂראל׃

  Gên 35:11   ויאמר לו אלהים אני אל שׁדי פרה ורבה גוי וקהל גוים יהיה ממך ומלכים מחלציך יצאו׃

Observe:

De Jacó (Israel) sairia uma nação = Israel

E também uma multidão de nações = Igreja Gentílica

Multidão de Nações = Kahal Goyim וקהל גוים

(Kahal = Congregação, Assembléia / Goyim = Gentios, Estrangeiros)

Repare:

Deus separou Israel em relação à Igreja Gentílica quando disse “e”… deixando claro que cada um tem a sua própria identidade.

Deus só deu a promessa de uma igreja gentílica a Jacó após ter mudado seu nome.

Para compreendermos o que é o “Israel de Deus” também precisamos entender o que significa “Israel”:

Então disse: Não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel: pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste. Gn 32:28

Israel Significa:

  • Príncipe com Deus
  • Ele luta com Deus
  • O que luta com Deus
  • Que Deus persevere

Nem todos os filhos, segundo a descendência de Abraão, são “Israel de Deus”

O que a Bíblia nos diz de “ser um israelita”:

Rm 9:6-8

Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; nem por serem descendência de Abraão são todos filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência.

Isto é: não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência.

Texto bíblico

Rm 9:10, 12-13

E não somente esta, mas também Rebeca, quando concebeu de um, de Isaque, nosso pai… Foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor. Como está escrito: Amei Jacó, e aborreci Esaú.

O Israel Espiritual

O Israel Espiritual:

Gl 6:15-16

Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas, sim, o ser uma nova criatura. E, a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles, e sobre o Israel de Deus.

O “Israel de Deus” mencionado por Paulo se tornou uma das expressões mais incompreendidas do Novo Testamento.

Israel de Deus

Ela é usada erroneamente nos dois extremos:

1) Aqueles que defendem a Teologia da Substituição dizem que a Igreja é o Novo Israel que substituiu os judeus. Portanto Israel deixou de ser o povo de Deus.

2) Alguns judeus afirmam que a expressão de Paulo está falando exclusivamente dos judeus e que “Israel” jamais poderia significar os gentios.

Nova Criatura

Ora, havia na Galácia os Judeus Messiânicos e os Gentios Messiânicos. Esta era a Igreja dos Gálatas, isto é, tanto judeus quanto gentios aliançados com Jesus e este era o povo que recebeu a epístola de Paulo.

Paulo está dizendo aos moradores da Galácia:

“a todos que vivem conforme a regra, isto é, o SER NOVA CRIATURA”.

Este é o Israel Espiritual. A união dos judeus que se tornaram NOVA CRIATURA através da graça do Senhor Jesus Cristo junto aos gentios que “endossaram” o sacrifício de Jesus.

O exemplo da Oliveira

Rm 11:17-23

E, se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro,foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti. Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé; então não te ensoberbeças, mas teme. Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que te não poupe a ti, também. Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas, para contigo, a benignidade de Deus, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira, também tu serás cortado. E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.

A figura da Oliveira e do Zambujeiro nos dá a idéia deste Israel Espiritual:

  • Alguns ramos (judeus) foram cortados, mas não todos.
  • Os gentios foram enxertados em Israel e passaram a ser “um” com eles.
  • Em todo enxerto a árvore original é ferida.
  • Todo ramo enxertado perde as suas características originais.
  • Enquanto o ramo enxertado permanecer na árvore receberá de sua seiva e produzirá os mesmos frutos da árvore original

Deus tem uma Oliveira que é cultivada por Ele.

Esta é o Seu “Israel Espiritual”. Ela foi formada por Deus e herdará todas as Suas promessas.

Continua…