SÉRIE: REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO BÍBLICA III

Regras gerais de interpretação bíblica

Interpretação bíblica

Regra três: A fé salvadora e o Espírito Santo são-nos necessários para compreendermos e interpretarmos bem as Escrituras.

“Quem tem ouvidos [para ouvir] ouça” (Mateus 13: 9), disse Jesus ao concluir a parábola do Semeador. Em seguida interpretou unicamente para o seus discípulos: “Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com seus ouvidos, fecharam os seus olhos; para não suceder quem vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados”. (Mateus 13: 15)

O deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 2 Coríntios 4:4

Satanás faz tudo o que é possível para impedir que as pessoas compreendam a verdade espiritual. Ao ler uma passagem bíblica um cristão compreende com clareza a mensagem, mas a mesma mensagem muitas vezes não é compreendida ou acaba sendo deturpada quando lida por um não cristão.  Paulo fala disso em I Coríntios, veja:

Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente. 1 Coríntios 2:14

 Um claro exemplo disto encontrasse na passagem que nos relata a ressuscitação de Lázaro, perceba:

Jesus bradou em alta voz: “Lázaro, venha para fora! ” O morto saiu, com as mãos e os pés envolvidos em faixas de linho, e o rosto envolto num pano. Disse-lhes Jesus: “Tirem as faixas dele e deixem-no ir”. Muitos dos judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que Jesus fizera, creram nele. Mas alguns deles foram contar aos fariseus o que Jesus tinha feito. João 11:43-46

Alguns viram  o fato como era, um milagre de Deus. Outros interpretaram como uma ameaça a sua crença, ou metas e objetivos. Hoje não é diferente nos depararmos com aqueles que não creem ou não aceitam as verdades bíblicas, mas precisamos de antes de jugá-los por isso, compreender que existe uma batalha espiritual travada e que o deus deste século trabalha para cegar as pessoas de modo que não vejam as verdades escritas.

Com o cristão ele tenta fazer algo semelhante, por isso temos que nos aprofundar e estar cientes de que dependemos do Espírito Santo, pois é Ele quem nos guia a toda verdade.

Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. 1 Coríntios 2:12

Ver as coisas do ponto de vista de Deus é um ministério exercido pelo Espírito Santo a favor daqueles que confiaram nele não só para a salvação, mas também para iluminação.

Cíntia Silveira.

Texto adaptado “Princípios de interpretação bíblica – Walter A. Henrichesen”.

Anúncios

SÉRIE: REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO BÍBLICA II

Deixar a Bíblia falar por si mesma, não acrescentar e também não retirar nada, este é um importante princípio para uma boa interpretação bíblica. Neste post iremos compartilhar um pouco mais a respeito das regras de interpretação, e se você ainda não leu os primeiros posts da série, eu o convido.

Você pode lê-los clicando aqui e aqui.

BÍBLIA

Regras gerais de interpretação bíblica

REGRA DOIS: A BÍBLIA É SEU INTÉRPRETE – A ESCRITURA EXPLICA MELHOR A ESCRITURA

É bastante perigoso usar outros meios para interpretação das Escrituras, pois um grande risco que corremos é retira-la do seu contexto. É bem possível que haja omissão ou até que se acrescente algo quando é realizada uma interpretação equivocada.  Por isso, deixe a Bíblia falar por ela mesma, não acrescente nem retire, deixe-a ser seu próprio comentário.

Uma dica importante ao estudar um capítulo ou um parágrafo é procurar no contexto a interpretação do mesmo. Deixe a Escritura explicar a própria Escritura, invista tempo em conhecer esta preciosidade. Ouça a Deus com compreensão, atenção e zelo.

Aguardo você no próximo post da série: Regras gerais de interpretação bíblica.

Cíntia Silveira.

Texto adaptado “Princípios de interpretação bíblica – Walter A. Henrichesen”.

SÉRIE: REGRAS GERAIS DE INTERPRETAÇÃO BÍBLICA

Conhecer as Escrituras é vital para vida de um cristão e examinar estes escritos que revelam o plano de Deus para humanidade é um grande privilégio. Nesta série desejamos compartilhar algumas regras importantíssimas para a interpretação das Sagradas Escrituras.

Torah

Antes tudo, vamos atentar para quatro regras básicas para um estudo correto da Bíblia:

  • OBSERVAÇÃO: “Que vejo?”, neste tópico o estudante da Bíblia aborda o texto como um detetive. Ele observa cada pormenor do texto considerando cuidadosamente seus detalhes.
  • INTERPRETAÇÃO: “Que significa?”, neste tópico o estudante deve investigar o texto fazendo-o perguntas como: “O que significa estes detalhes para as pessoas a quem foi dado?”, “O que este texto deseja comunicar?”.
  • CORRELAÇÃO: “Como isto de correlaciona com o restante daquilo que a Bíblia diz?”, neste tópico o estudante deve unir e organizar o assunto com tudo o que a Bíblia diz a respeito dele. É muito importante saber que para uma boa compreensão sobre qualquer assunto nas Escrituras é necessário examinar e compreender o que ela como um todo nos diz a respeito do mesmo.
  • APLICAÇÃO: “Que significa para mim?”, neste tópico o estudante irá usufruir dos três anteriores passos. Ele observou, interpretou, correlacionou e irá aplicar o tesouro descoberto.

Dedicar-se a conhecer as Escrituras é dedicar-se a ouvir a Deus, pois é por meio dela que o Criador se revela.

Acompanhe nossos posts a série está apenas começando, aguardamos você.

Cíntia Silveira.